Publicidade

Foi-se o tempo em que cuidar do meio ambiente era algo distante da nossa realidade. 

O avanço das mudanças climáticas torna cada vez mais necessária a implementação de medidas para combater o aquecimento global e consequentemente, manter a vida humana na terra.

E, apesar das notícias desanimadoras, medidas devem ser tomadas o mais rápido possível para evitar que o pior aconteça e que nossa existência se prolongue. E como esta missão não é individual, muito menos única e exclusiva dos governos, empresas também devem entrar nessa luta.

Uma das formas de fazer isso é aplicando a economia verde, você já ouviu falar? Se não, este artigo foi feito para você.

Publicidade

Um pouco de dados…

A preocupação com o meio ambiente e a forma como estamos lidando com tantas mudanças climáticas têm levado cada vez mais pessoas, e até mesmo empresas, a buscarem alternativas que promovam um desenvolvimento econômico mais consciente e responsável.

Tanto, que a maioria delas estão pensando nisso até mesmo na hora de fazer suas compras. De acordo com dados divulgados pela McKinsey e Company, ainda de 2020, aproximadamente 85% dos brasileiros preferem consumir de empresas sustentáveis.

E como o cuidado com o meio ambiente se tornou algo mais do necessário, cada vez mais pessoas e empresas se colocam nesse lugar de preservar.

E o que não faltam são formatos pensados justamente para isso, garantir que estes negócios não causem tantos impactos negativos na vida, não somente das pessoas ao seu redor, mas no planeta de forma geral.

Assim, nasce a economia verde. Você já ouviu falar?

Ela nada mais é do que uma abordagem que tem como principal objetivo conciliar o crescimento econômico com a preservação ambiental.

Caso tenha ficado interessado, iremos explorar o que é economia verde, como implementá-la, os diferentes tipos existentes e exemplos de sucesso ao redor do mundo.

Mas afinal, o que é economia verde?

Como o próprio nome já diz, a economia verde consiste em um conjunto de ações que tem como principal objetivo fazer com que instituições consigam evoluir economicamente, sem impactar o meio ambiente.

O foco é gerar o crescimento econômico, mas sem deixar de lado os impactos ambientais que o negócio possa causar. Assim, a ideia é fazer com que a empresa cresça, mas sem danos ambientais, como a poluição de rios, destruição da camada de ozônio, ou até mesmo a danos a longo prazo como desregulação das chuvas, aumento da temperatura, incêndio e tudo mais.

Esse termo substitui o conceito de ecodesenvolvimento que era utilizado anteriormente e se aprofunda um pouco mais nessa necessidade de cuidar do agora para garantir um futuro melhor.

Assim, em resumo, podemos dizer que:

O termo economia verde traduz um movimento de mercado que nada mais é do que um modelo econômico que cause uma harmonização entre o progresso financeiro e a preservação do meio ambiente.

Basicamente, o objetivo é fazer um  avanço econômico significativo, ao mesmo tempo que garante a preservação, dando manutenção adequada aos ecossistemas. Essa prática visa diminuir os impactos negativos que a humanidade provoca na natureza, de forma que estimule a criação de emprego e renda, chegando assim ao crescimento da economia.

Apesar de ser uma modalidade relativamente nova, a economia verde é indispensável para conter as mudanças climáticas e a perda da nossa biodiversidade, que gera a escassez de recursos naturais.

E quais são suas características?

Principais características da economia verde

Para que o seu negócio tenha a implementação da economia verde, é importante garantir que alguns passos sejam seguidos, que são:

  • Diminuição dos impactos climáticos e outros efeitos negativos;
  • Baixa da emissão de carbono e outros gases poluentes;
  • Uso de recursos naturais renováveis na sua produção;
  • Inclusão social;
  • Reciclagem e reutilização de bens;
  • Atenção e cuidado com recursos híbridos;
  • População e garantia de acesso à saneamento básico para toda população;
  • Uso de energias renováveis e limpas;
  • Valorização da biodiversidade;
  • Consumo consciente de recursos.

Como funciona?

Basicamente, a economia verde vai se desenvolver através de práticas e políticas que vão causar a redução de emissões de gases poluentes, o uso de recursos naturais e o estímulo ao uso de inovações tecnológicas capazes de trazer soluções ambientais.

Isso é possível usando a inovação, sustentabilidade, inclusão social e resiliência.

A economia verde possui benefícios?

Além da preservação do meio ambiente, que é o benefício principal e direto da implantação da economia verde, o modelo traz vantagens diversas.

Um dos principais deles é a geração de mais empregos e renda.

Mas não é o único, veja bem:

  • Mais qualidade de vida para as pessoas de modo geral;
  • Promoção da estabilidade econômica a longo prazo;
  • Diminuição da emissão de gases poluentes pelas indústrias e empresas;
  • Diminuição dos impactos causados na natureza e da mudança climática.

Se você está pensando se existe algum ponto negativo desta modalidade, como empreendedor, saiba que é difícil encontrar. Entretanto, uma questão pode ser considerada na hora de tomar esta decisão.

Talvez, o que pode ser um fator que pesa na hora de tomar uma decisão como essa é em relação aos valores. Em um primeiro momento, talvez seja um orçamento um pouco maior.

Entretanto, é importante ter em mente que em longo prazo, todo o valor gasto é retornado e o melhor, gera economia na sua produção.

Como aplicar a economia verde no meu negócio?

Antes de tudo é importante ter em mente que a economia verde deve ir além de uma teoria. Sua implantação deve ser prática e eficaz. Só assim é possível alcançar os objetivos e resultados desejados.

Suas estratégias empresariais devem estar alinhadas com a prática, atuando desde a pesquisa, investimento e implementação da prática sustentável, até a realização de uma comunicação ampla e transparente do andamento do projeto e seus resultados.

Regulamentações empresariais e incentivos do governo também são importantes para garantir a implementação da modalidade econômica. Não adianta nada as empresas atuarem e apresentarem seus esforços sem que o governo não ofereça estrutura para tal.

Na hora de implementar a economia verde, certifique-se de conhecer não apenas as leis federais, mas também as estaduais e municipais e veja como você estará amparado.

Vale a pena apostar na economia verde?

Definitivamente, sim!

A economia verde nada mais é do que uma abordagem fundamental para enfrentar os desafios ambientais e sociais que estão batendo à nossa porta. Ao mesmo tempo, ela  estimula o crescimento econômico de forma sustentável e igualitária.

Fazer com que seu negócio use práticas sustentáveis, como o investimento em energias renováveis, promoção da economia circular e valorização da biodiversidade, podemos construir um futuro mais próspero e resiliente para as próximas gerações.

Assim como optar por escolher produtos e serviços que atuem dentro dos conceitos de economia verde é uma opção segura para si mesmo e para o planeta.

Portanto, não hesite em apostar na economia verde. Aproveite este artigo e já vá em busca de novas ideias, possibilidades e oportunidades para cuidar do seu negócio e do futuro do planeta.

Quer mais dicas de finanças? Não deixe de acompanhar nossas publicações.

Mas antes disso, um panorama do cenário brasileiro da economia verde. Confira abaixo:

Como anda a economia verde no Brasil?

Já no final da década passada, de acordo com o estudo Engajamento dos Pequenos Negócios Brasileiros em Sustentabilidade e os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, realizada pelo Centro Sebrae de Sustentabilidade, 91% dos pequenos empresários têm uma visão ampla sobre os novos modelos de negócios que se preocupam com o meio ambiente e a sustentabilidade.

Além do mais, 93% dos empreendimentos afirmam estar comprometidos com práticas sustentáveis.

Entretanto, grande parte desses empreendedores dizem que fazem uma ação para conscientização ambiental isolada, sem nenhum planejamento. Para sermos mais específicos, 54%.

O mais impressionante é que a maioria das empresas que estão dispostas a investir na economia verde são startups. As empresas com perfil mais tradicional não mostram tanto o mesmo interesse.

Programas como o ESG (ambiental, social e governamental, em tradução livre) em todo o mundo são movimentados cerca de US$ 30 trilhões no mundo, de acordo com a reportagem do Financial Times. Isso mostra o quanto a economia verde está adiantada em todo globo.

Estes programas ESG ajudam a mostrar para o público de modo geral o quanto as instituições estão dispostas a reduzir os impactos causados ao meio ambiente.

Além de atuarem de forma sustentável, as empresas evoluem na forma de administração, além de terem ganhos de imagem.

Um outro estudo, do início dessa década, desta vez realizado pela ACE Cortex identificou que menos de 343 startups nacionais desenvolveram soluções na área, sendo que a grande maioria delas trabalham justamente no setor ambiental, ou ainda social e de governança.

Este estudo informa também que 46% das grandes companhias do varejo já estão usando programas de ESG e 92% delas acreditam e defendem o seu conceito.