Publicidade

O que são criptomoedas e como elas funcionam? Muito tem sido falado sobre Bitcoins no mundo financeiro, mas afinal, você sabe o que são as criptomoedas e como elas funcionam? Entenda mais neste artigo.

A tecnologia tem mudado a forma como nós trabalhamos, compramos, nos comunicamos e até como pagamos por bens e serviços. A realidade é que hoje, a maioria das empresas e das pessoas não gosta mais de lidar com dinheiro, e acabam optando por transações financeiras digitais, entre elas, as criptomoedas.

As chances de você já ter ouvido falar na mais conhecida entre todas, o Bitcoin, são grandes, afinal, ela foi a primeira moeda digital a se tornar popular.  Mas nos últimos anos alguns outros nomes também têm ganhado destaque no mercado financeiro, até porque, além do Bitcoin, existem mais de 2000 criptomoedas diferentes.

Publicidade

Quer saber o que são as criptomoedas, como elas funcionam, se são seguras e como comprá-las? Então, continue acompanhando este artigo.

O que são criptomoedas e como elas funcionam?

As criptomoedas são um tipo de moeda digital e descentralizada. Elas podem ser utilizadas para comprar e vender bens e serviços. O seu potencial de armazenamento e sua valorização são os principais motivos que atraem os investidores.

Entre as outras vantagens estão o fato de que você pode comprá-las, vendê-las e trocá-las sem um intermediário como o banco. Tanto que o criador do Bitcoin, Satoshi Nakamoto, descreveu a moeda digital como “uma necessidade de um pagamento eletrônico baseado em prova criptográfica ao invés de confiança”.

As criptomoedas são totalmente digitais, o que significa que não existem cédulas físicas ou uma conta conectada às moedas digitais que você possui.

Em vez disso, os donos das criptomoedas têm uma carteira digital e compram ou vendem através de uma corretora online.

Como as criptomoedas funcionam?

Cada criptomoeda é basicamente um arquivo de computador armazenado em um aplicativo de carteira digital, que pode ser instalado em um smartphone, PC, notebook, tablet etc.

As pessoas podem enviar moedas digitais (ou partes dela) para a sua carteira digital e você pode enviá-las a outras pessoas também.

Cada transação é gravada num livro-razão chamado de blockchain, e é essa tecnologia que ajuda a garantir a segurança das moedas digitais, como veremos a seguir.

Afinal, as criptomoedas são seguras?

Como falamos, as criptomoedas utilizam a tecnologia blockchain. Através dela, as transações com são compiladas, validadas e registradas em ordem cronológica.

O processo é bem técnico e um pouco complexo, mas o resultado é um livro-razão digital de transações que é extremamente difícil de ser adulterado por invasores.

Além disso, as transações exigem um processo de autenticação de dois fatores. Por exemplo, para fazer uma transação, o seu login e senha poderão ser solicitados, e em seguida, você precisará inserir um código de autenticação enviado por mensagem para o seu smartphone.

Embora os processos envolvendo transações com moedas digitais sejam extremamente seguros, não significa que são impossíveis de serem hackeados. Em 2018, o Coincheck, serviço de carteira e troca de Bitcoin, sofreu um ataque que resultou na perda de US $534 milhões.

Como comprar Bitcoins

Agora que você já sabe o que são as criptomoedas, como funcionam e qual é o nível de segurança das transações, vamos ver como é possível adquiri-las.

A maioria das pessoas compra Bitcoins através de corretoras, ou exchanges, como são conhecidas. As exchanges permitem que você compre, venda, mantenha suas moedas e configure uma conta. Essas empresas são classificadas como fintechs – empresas de tecnologia que atuam no mercado financeiro.

As exchanges mais usadas no Brasil são:

Independentemente de onde comprar Bitcoin ou outra criptomoeda, você vai precisar de uma carteira digital para armazená-la.

Existem as chamadas hot wallets, que também são conhecidas como carteiras online, e são armazenadas por uma exchange ou um provedor na nuvem.

Exatamente por serem online, não são tão seguras, por isso, não são indicadas para quem quer armazenar as moedas a longo prazo, mas sim para quem faz transações diárias, como investidores ou comerciantes.

Já as cold wallets são armazenadas em plataformas que não são conectadas à internet, e por isso, são mais seguras contra acessos não autorizadas, ciberataques e outras vulnerabilidades. São ideais para investidores de longo prazo.

Ou seja, na hora de escolher a sua carteira digital, leve em consideração a seguinte comparação:

Hot wallets são fáceis de ser configuradas, porém, não são tão seguras para quem não faz transações com frequência.

Cold wallets são mais seguras, porém, mais difíceis de configurar.

Quais são as principais criptomoedas

Como já falamos anteriormente, existem milhares de moedas digitais disponíveis atualmente. Cada uma delas tem um propósito diferente, algumas são otimizadas para substituir o dinheiro, outras para fazer transações diretas e particulares.

Veja a seguir o top 3 das criptomoedas:

1.Bitcoin (BTC): A pioneira e mais popular, como já sabemos, é o Bitcoin (BTC), que foi criado em 2008 por Satoshi Nakamoto, em plena crise financeira. Ela foi idealizada para substituir o dinheiro de papel e tirar a intermediação dos bancos das transações.

2.Ethereum (ETH): lançada em 2015, é a segunda criptomoeda mais negociada do mundo. Em cerca de um ano – do início de 2020 ao início de 2021 – ela acumulou ganhos de cerca 667%.

3.Litecoin (LTC): esta moeda digital surgiu em 2011 e tem sido classificada como a “prata para o ouro do Bitcoin”. É vista como uma das mais promissoras pelos investidores.

Além destas, outras moedas digitais como o Cardano (ADA), o Polkadot (DOT), Bitcoin Cash (BCH), o Tether (USDT), Binance Coin (BnB), o XRP (XRP) e o Dogecoin (DOGE) também estão entre as mais utilizadas no mercado.

Sobre o futuro das moedas digitais, ainda é muito cedo para fazer alguma especulação. Se por um lado elas sofrem pressão de países como China e Índia, por outro, é inegável que são importantes agentes da mudança na indústria financeira.

Gostou de saber o que são criptomoedas, como elas funcionam e quais são as principais disponíveis no mercado? Agora, é só começar a investir.