Imóvel é investimento? E a casa própria? Hoje falaremos um pouco sobre a guerra que assola gerações: casa própria é investimento?

Antes de mais nada, não existe certo ou errado – cada caso é totalmente particular e único. Digo isso pois, apesar da taxa de juros impactar absurdamente o valor final pago pelo imóvel, a valorização muitas vezes pode fazer valer a pena, somado à possibilidade de aluguel.

O primeiro ponto que precisamos trazer pra discussão é: um imóvel, é imóvel.

É, isso mesmo Sherlock

think benedict cumberbatch GIF by BBC

“AH MAS ISSO É ÓBVIO”

Sim, mas na hora de investir, se te dissessem que o que você está comprando JAMAIS poderia sair do lugar, você ainda assim compraria? É uma reflexão.

Mudanças no bairro, em pontos de ônibus, escolas ou hospital afetam diretamente o valor de um imóvel.

Imóvel é investimento? E a casa própria? As vantagens de se investir em imóveis

A primeira vantagem é o mesmo motivo da desvantagem: é sólido, está fixo, e não vai sair do lugar. Isso pra muitas pessoas é uma maravilha – principalmente pra geração dos nossos pais, avós e bisavós, que viveram na mesma cidade e trabalham no mesmo emprego – a vida inteira. Mais uma vez, são pontos de vista marcados por algumas gerações.

Outra vantagem interessante é a possibilidade do aluguel do imóvel, que ajuda no pagamento das parcelas, caso opte pelo financiamento.

Muitas vezes o investimento em imóveis tem como foco a casa própria – um movimento muito normal no Brasil. A maior vantagem desse movimento é não pagar mais aluguel – a parcela é invertida para adquirir o seu próprio imóvel.

Inclusive existem diversas formas de adquirir um imóvel e algumas delas podem apresentar grandes vantagens. Um exemplo é o Leilão de Imóveis, que pode ser considerado um bom investimento em alguns casos. Leia mais sobre Leilão de Imóveis aqui.

Imóvel é investimento? E a casa própria? As desvantagens de se investir em imóveis

O primeiro ponto é que você passa a ter uma parcela fixa mensal, com juros, durante 30 anos, pra manter a sua moradia – e normalmente a parcela é consideravelmente maior do que o valor do aluguel. 

E esse é um dos principais perigos pra quem busca a casa própria: desfazer do dinheiro que sobra e se comprometer com uma parcela, além de desfazer das economias para a entrada.

Inúmeros cálculos mostram que, se você guardar a diferença entre a parcela e o aluguel e optar por um apartamento de valor menor na locação, você conseguirá juntar muito mais e comprar um apartamento de forma muito mais barata.

Além disso, o imposto sobre os investimentos imobiliários chegam a 27.5%, diferente de outros investimentos do mercado.

Uma boa saída

Uma forma de se conseguir investir em imóveis enquanto você aumenta seu patrimônio é investir em títulos imobiliários, como Fundos de Investimento Imobiliário. Os fundos são isentos de imposto de renda, possuem uma carteira grande de imóveis (diversos imóveis espalhados pelo Brasil) e possuem liquidez.

Em 30 anos, provavelmente você vai ter um patrimônio muito maior do que apenas um apartamento.

CONCLUSÃO

A compra de um imóvel não necessariamente é um investimento, e mesmo quando é, não necessariamente representa um investimento interessante em razão da complexidade de negociação, taxas e impostos.

Investir a diferença entre uma parcela e o aluguel, enquanto se mora de aluguel, se mostra uma estratégia bastante interessante, segura e rentável.

Não queremos dizer que você NUNCA deve comprar um imóvel, mas caso não seja o seu sonho, invista em produtos como Fundos Imobiliários e outros produtos financeiros que sejam do seu perfil. Caso opte, existem também opções de financiamento para construir do jeito que você quiser.

Você pode analisar preços de imóveis em sites imobiliários como por exemplo o Quinto Andar.